11 2303-4022 | 11 4240-3100
Matriz Guarulhos - SP
ver outras filiais

Fique por dentro de todas
as novidades da PacíficoLog


Parte de ponte da Alça Viária, no PA, desaba após balsa bater em pilastra


Incidente aconteceu na noite de domingo (23). Acesso à região sudeste do estado está bloqueado; ninguém ficou ferido.


Imagens divulgadas pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE) mostram como ficou a quarta ponte da Alça Viária sobre o Rio Moju, no Pará, após uma balsa ter colidido com a estrutura na noite de domingo (23). A embarcação, que transportava óleo, destruiu um dos pilares da construção, localizada a cerca de 120 km de Belém. A ponte danificada faz parte de um complexo de pontes e estradas que liga Belém aos municípios do interior do estado. Ninguém ficou ferido.

Com o incidente, foi rompida parte da estrutura, que possui cerca de 900 metros de extensão e 23 vôos. De acordo com informações da PRE, cerca de 50 metros da ponte, localizada no quilômetro 48 da rodovia PA-483, foram destruídos com o acidente.

Clésio Santos, morador da área, afirmou ao G1 que estava chovendo durante a noite e as pessoas puderam ouvir o barulho da batida. "A gente chegou a pensar que era um trovão. Até a energia da cidade foi cortada", disse um funcionário da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará, residente do município de Moju.
Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil fazem a avaliação da estrutura, que corre o risco de desabar. O trânsito foi bloqueado e, com isso, o acesso à região sudeste do Pará está bloqueado. Equipes da PRE orientam o tráfego nos dois lados da ponte. A recomendação é que os motoristas façam o retorno.

A Secretaria de Estado de Transportes (Setran) informa que já está tomando providências para garantir a travessia de carretas, caminhões e veículos de passeio pela Alça Viária. Duas balsas das empresas Henvil e Arapari foram viabilizadas pelo governo do estado e enviadas até o local para fazer a travessia dos veículos. O calculista da Setran, Paulo Barroso, também já está fazendo uma inspeção e, posteriormente, apresentará um laudo técnico para a recuperação da ponte.

Fonte: G1